Como Importar da China

Loading...

Adquirir um produto originário de outro país em sido um negócio atrativo. E não importa se for par consumo próprio ou para revender. Independentemente do seu objetivo o mercado chinês tem se mostrado tão interessado em conseguir mais clientes e não mede esforços para isso.

>>> Veja também: Como Importar Roupas

Com quem comprar

Importar produtos do país asiático em questão não é um bicho de sete cabeças. Inicialmente é necessário prestar atenção ao fornecedor. Ao escolher um dos três elementos mencionados a seguir e tudo dará certo:

1# Fabricante

Comprar com o fabricante é vantajoso pelo fato de que a comunicação é direta e pode ocasionar em preços mais baixos. No caso de problemas com o produto, a solução é tomada no “olho no olho” (olha na tela, para ser mais específico).

2# Tradings

Ao optar por uma trading você terá alguém intervindo por você (caso seja necessário falar no idioma local). Outro diferencial é a maior variedade de produtos ofertados a você ou ao seu negócio.

3# Fabricantes & tradings

É o mix do serviço oferecido nos dois itens anteriores. É a melhor solução para quem deseja ter garantia de que seu produto será da qualidade esperada e chegará inteiro no país de destino.

Como comprar produtos made in China

A logística da importação de produtos chineses é semelhante a compra de mercadorias de outros países:

1# Escolha o site

Seja fabricante ou trading, você deve realizar a negociação com um site de confiança. Ele deve ainda atender à sua demanda de produtos, pois isso facilitará o processo. Afinal, é chato e cansativo ter que ir de site em site procurando algo.

2# Compare preços

Depois de ter encontrado sites e fornecedores idôneos, a etapa seguinte é fazer aquela velha pesquisa de campo. Compare os preços oferecidos por cada loja, avalie a diversidade de produtos disponíveis e também a qualidade dos mesmos.

3# Cartão internacional é obrigatório

Toda compra realizada fora dos domínios brasileiros exige um cartão desse tipo. Sem ele, nada feito!

4# Evite cair na rede dos piratas!

Existem muitos picaretas soltos pela internet. Na China isso não é diferente. Preste muita atenção ao tipo de mercadoria oferecida na hora da compra. Alguns podem ser piratas (observe a diferença de preço entre os sites para saber se é ou não original).

5# Tenha paciência e espere seu produto chegar

Compras internacionais demoram em média de 15 dias. Em alguns casos a entrega pode levar até meses. É estressante, não é mesmo? Mas tenha calma. O fluxo de mercadorias que dão entrada na Receita Federal é grande. É muita burocracia e pouca efetividade. Nesse momento de impaciência faça como os asiáticos: exercite a meditação e aguarde o momento da entrega na sua residência.

Use o dropshipping como opção

Se o seu desejo é importar produtos da China para montar um negócio, mas não tem capital suficiente para isso a opção do drop shipping é perfeita. Sabe por quê? Pelo fato de você agir como um intermediador de vendas.

>>> Veja também: Segredos da Importação

O drop shipping consiste numa técnica de gestão da cadeia logística. Seu funcionamento se dá na seguinte forma: o revendedor não mantém os bens em estoque. O cliente é apresentando a um catálogo online e quando completa o pedido de compra, paga o fornecedor. Este será responsável pelo processo de separação e entrega da mercadoria diretamente ao cliente.

Motivos para comprar produtos chineses

O mercado chinês tem conseguido atender às demandas dos brasileiros de forma tão eficiente que não faltam atrativos para você entrar nessa onda.

1# Preço atraente

Um produto na China pode custar até 3x menos do que você pagaria por ele em solos brasileiros. A principal diferença está nas taxas e impostos pagos.

2# Entrega grátis

Não faltam sites oferecendo frete grátis para o Brasil. Isso não acontece ao fazer compras nos Estados Unidos, por exemplo.

3# Boa qualidade

Encontrando os fornecedores certos você terá produtos de excelente qualidade. Seja roupa, relógio, perfume, eletrônicos, sapatos… Bons produtos no mercado chinês existem sim.

4# Lucratividade para seu negócio

Para os interessados em revender as mercadorias adquiridas diretamente da China o lucro é imprescindível. Ao comprar por um preço atrativo, você poderá revender a mercadoria mais cara e o resultado disso é muito lucro.

Comprando de forma legal

Mais importante do que importante produtos da China é fazê-lo dentro da legalidade. A Receita Federal do Brasil tem aumentando a rigidez em relação à importação nos últimos anos. Fique atento às dicas a seguir para não ter seu produto apreendido:

>>> Veja também: Como Importar Perfumes Eletrônicos e Relógios

1# Abra uma empresa

O primeiro passo é esse. Legalize seu empreendimento registrando-o. Nunca comece a importar para revenda antes de iniciar seu negócio. Os riscos da Receita apreender seus produtos são grandes.

2# Oficialize o serviço

Busque o RADAR (Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros) para que os produtos importados por você sejam despachados sem maiores problemas e dentro da legalidade prevista nas leis brasileiras.

3# Fechando parceria com os fornecedores

Não bastasse estar na legalidade no Brasil, sua empresa também deverá obedecer as leis da China. O terceiro e último passo é encontrar um exportador de confiança e firmar um contrato de serviço com ele. Mas atenção, isso deve ser feito obedecendo a legislação chinesa.

Nem tudo é um mar de rosas

A Receita Federal é rígida quando o assunto é importação de produtos. Some a esse fator um novo obstáculo criado pelo governo em junho deste ano. No último dia 22 a presidente Dilma Roussef sancionou uma lei que aumenta o imposto de produtos importados.

A Lei 13.137/2015 eleva as alíquotas de PIS/Cofins sobre alguns bebidas, produtos farmacêuticos e cosméticos adquiridos fora do Brasil.

Medida para evitar mais problemas na economia

A justificativa do governo federal para esse aumento é a necessidade do governo em implantar o ajuste fiscal, para evitar que o Brasil entre em recessão. Essa medida foi sancionada a contragosto do Congresso Nacional e se junta a duas ações impopulares do governo: a limitação de acesso ao seguro-desemprego e às mudanças na pensão por morte.

Veja Também:

Carregando...